TERAPIA OCUPACIONAL EM NEUROLOGIA INFANTIL/ADULTO

Destina-se a melhorar a função, reduzir as limitações e melhorar o bem-estar geral dos pacientes que sofreram de doenças, lesões traumáticas e distúrbios do sistema nervoso.

O objetivo da Terapia Ocupacional em adultos com alterações neurológicas é:

  • Estimular a reaquisição de habilidades percepto-cognitivas; estimular a independência nas atividades diárias e/ ou orientar tais tarefas; verificar a necessidade / prescrever e/ ou confeccionar adaptações; trabalhar na reinserção do indivíduo às atividades sociais e/ ou profissionais.

Já em  crianças com alterações neurológicas é:

  • Favorecer as aquisições percepto-cognitivas próprias para a idade; possibilitar o brincar; favorecer o desenvolvimento motor de acordo com o quadro clínico e a idade do paciente; estimular a independência nas atividades da vida diária e/ ou orientar tais tarefas; verificar a necessidade, prescrever e/ ou confeccionar adaptações; favorecer melhor posicionamento; atuar na orientação familiar e na inclusão escolar com adaptações de mobiliário, instrumentos e orientação aos professores.

TERAPIA OCUPACIONAL EM ORTOPEDIA & TRAUMATOLOGIA

Melhorar a capacidade funcional do paciente seja ele portador de uma disfunção temporária ou permanente. O objetivo é a prevenção de deformidades, o treino da independência nas atividades de vida diária, à promoção da analgesia, ao controle do edema, ao ganho de movimento e/ou força, resistência, ao manuseio da cicatriz, reeducação sensitiva e à confecção de órteses e/ou próteses e/ou adaptações. Trata dos distúrbios do sistema nervoso periférico, tais como: síndrome do túnel do carpo, compressões radiculares ou de nervos, neuropatia por diabetes ou após quimioterapia; distúrbios vasculares como linfedema, úlceras varicosas, amputações de extremidades, etc; dor aguda ou crônica, após trauma ou cirurgia; disfunções posturais, tais como: escoliose, dorso curvo, má postura; lesões de músculos, tendões, articulações, devido a prática desportiva ou decorrente de sobrecarga ou movimentos repetitivos; dores articulares, consequentes de doenças reumáticas, como: osteoartrose, artrite reumatóide e artrite gotosa (gota).

TERAPIA OCUPACIONAL EM SAÚDE MENTAL

A terapia ocupacional em saúde mental é um instrumento de grande valia que permite trabalhar diversas habilidades e aspectos do ser humano. A transformação do material, o fazer concreto e a possibilidade de expressão e compreensão da psicodinâmica são atributos possíveis dentro da atividade artística no setting terapêutico. Esse fazer contribui de forma decisiva para a construção ou reconstrução de uma identidade, da autonomia e da funcionalidade das pessoas, o fazer permite que o indivíduo tenha experiências aproximadas de sua práxis cotidiana.

TERAPIA OCUPACIONAL NA SAÚDE DO TRABALHADOR

É a ciência que realiza um trabalho integrado com outras ciências relacionadas à saúde, onde o Terapeuta Ocupacional está apto a compreender as relações saúde-sociedade, como também as relações de exclusão-inclusão social, considerando as realidades regionais e as prioridades assistenciais, buscando a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e orientando a participação dos mesmos em atividades selecionadas para facilitar, restaurar, fortalecer e promover a saúde. A intervenção Terapêutica Ocupacional se desenvolve através de atividades terapêuticas com enfoque educativo, preventivo, curativo ou reabilitador em uma abordagem individual ou grupal objetivando possibilitar a redução da fadiga, do cansaço, desgaste do trabalhador, acidente de trabalho e o absenteísmo e aumentar o conforto, a motivação, a produtividade, a rentabilidade e a satisfação com o seu trabalho, entre outros.

TERAPIA OCUPACIONAL NA GERONTOLOGIA / GERIATRIA

De um modo geral, é função do Terapeuta Ocupacional restabelecer as perdas físicas, mentais e sociais, que causam desajuste no idoso. Este age como um facilitador que capacita o mesmo a fazer o melhor uso possível das capacidades remanescentes, a tomar suas próprias decisões e lhe assegurar uma conscientização de alternativas realísticas. Através do estímulo ao auto-conhecimento e ao autocuidado, gerando uma melhoria na auto-estima, o idoso tem condições de lidar com seus potenciais e a partir daí construir uma maneira própria de se relacionar com o meio social, atuando nele mais autonomamente. Basicamente, procura-se que o idoso tenha um desempenho mais independente possível, enfatizando as áreas de autocuidado, do trabalho remunerado ou não, do lazer, da manutenção de seus direitos e papéis sociais. A atividade é um meio através do qual se vivencia significado existencial através da expressão de valores, da auto-responsabilidade, da (re)descoberta de competências e habilidades, do compromisso, e de sistematicidade, podendo envolver ainda convívio social pautado por bem-estar.

TERAPIA OCUPACIONAL NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL 

Estimula e incentiva as habilidades esperadas em cada faixa etária; estimula o recém-nascido de risco, prevenindo seqüelas e atraso no desenvolvimento; auxilia no processo de aprendizagem escolar da criança com déficits e dificuldades pedagógicas; orienta à família para descoberta de potencialidades e de como lidar com a criança especial ou não; favorece o máximo de independência para as atividades da vida diária, pois tal independência permite a liberdade de desempenho nas atividades educacionais, lazer, exercendo real significado para o individuo. Tudo isso através do brincar.